O que é DOI e quais suas vantagens?

Tão importante quanto publicar uma pesquisa é fazer com que ela seja lida e citada. Para auxiliar na acessibilidade e divulgação, alguns códigos podem ser utilizados, como é o caso do DOI (Digital Object Identifier), um grande aliado que pode fazer toda a diferença na sua publicação. Por isso preparamos este post com um resumo sobre o que é DOI e quais suas vantagens.

O que é DOI?

O DOI é uma sigla para a definição em inglês de Digital Object Identifier. Trata-se de um código alfanumérico individualizado e permanente que permite a catalogação, acesso e identificação de objetos digitais na internet. Ou seja, é uma representação simbólica que sinaliza um determinado conteúdo que esteja, e permaneça, online.

Nem sempre um arquivo digital se encontra no mesmo endereço, motivo para o DOI ter sido criado. Com o código alfanumérico é possível encontrar sempre o arquivo correto, garantindo que o trabalho continue disponível para consulta.

Isso é muito vantajoso, especialmente para publicações científicas. A acessibilidade e divulgação com o DOI garantem a repercussão e visibilidade do trabalho que, consequentemente, levam a uma maior credibilidade e tornam os resultados obtidos ainda mais efetivos, já que alcançarão mais pessoas.

Quais tipos de publicação podem obter um código DOI?

O sistema DOI prevê que qualquer objeto que seja publicado em meio digital pode receber um DOI, mas os tipos de conteúdo para os quais o DOI pode efetivamente ser depositado fica a cargo das agências de DOI.

A mais conhecida delas, a Crossref, se encarrega de todos os tipos de conteúdo ligados à produção científica, incluindo artigos científicos, livros, periódicos, preprints, edições de revistas científicas, proceedings de eventos e repositórios universitários.

Além de ajudar a organizar e identificar os trabalhos, ter um DOI ajuda a proteger os direitos autorais e contabilizar citações, além de dar acesso para os depositantes a recursos para evitar plágio, como o Similarity Check. Por isso, é muito importante depositar o DOI, não importa qual seja a sua publicação.

Como surgiu o DOI

A necessidade de ordenar publicações não é recente. Com o passar dos anos e o aumento exponencial de revistas científicas, a catalogação só se fez cada vez mais necessária.

Por isso, em 1970, foi lançado o primeiro grande banco de dados catalográficos internacional: o ISSN (International Standard Serial Number), voltado a periódicos e revistas científicas ou não.

Com o passar dos anos, o ISSN ganhou um parceiro chamado DOI (Digital Object Identifier), que chegou acompanhando as mudanças tecnológicas e se direcionou aos conteúdos digitais.

Segundo a International DOI Foundation (IDF), o DOI surgiu de uma parceria entre entidades editoriais: a Associação Internacional de Editores (IPA), a Associação Internacional de Editores Científicos, Técnicos e Médicos (STM) e a Associação de Editores Americanos (AAP)

Esse conjunto estabeleceu, entre 1996 e 1997, a primeira identificação para conteúdos em meio digital de forma genérica e envolvendo quaisquer dados que estivessem no meio. A partir desse projeto, em 2000 foi feita a parceria com a então recém-fundada Agência de Registro Crossref e, a partir daí, o DOI passou a ser depositado para citações de artigos científicos.

O que é a Crossref?

A Crossref é uma entidade internacional formada por editores, empresas e instituições científicas que tem como missão criar sistemas e oferecer recursos para catalogar adequadamente artigos científicos, além de permitir uma maior interação entre sistemas de entidades associadas para facilitar o uso de referências.

Hoje, o código DOI é o projeto mais conhecido da Crossref. Ele tem sido inclusive exigido por agências indexadoras como critério para aceitação de conteúdos. Além do DOI, a Crossref oferece muitos serviços para quem está no meio científico e acadêmico, como é o caso do Similarity Check, que previne o plágio.  

A emissão do DOI

A Crossref é um entidade internacional e atribui o código para todas as línguas através de suas Sponsoring Entities, entidades patrocinadoras oficiais ao redor do mundo. O Galoá é uma dessas entidades e, além de atribuir DOIs, pode oferecer outros serviços como solicitar novos prefixos.

Essas entidades emitem o código e uma URL permanente, que pode ser facilmente utilizada para encontrar um trabalho online.

A URL é formada pelo início do link htttp://dx.doi.org/ + o código. Assim, você pode localizar qualquer trabalho tendo o código. Se você não sabe onde encontrar uma publicação, mas o código está no Currículo Lattes, basta inserir o código no link.

Como é formado o código?

O DOI é formado por duas partes, sendo que a primeira é o prefixo, uma identificação da instituição ou da empresa responsável pelo depósito. Você pode criar seu próprio prefixo aqui com o Galoá!

A segunda parte é o sufixo, o código alfanumérico individual que é definido pelo depositante. O editor ou organizador do evento deve ficar atento para não usar maiúsculas ou espaços na hora de definir o seu identificador.

Para que sua pesquisa alcance ainda mais pessoas e tenha maior visibilidade e credibilidade, é importante aproveitar algumas ferramentas como o DOI.

Neste post, nós explicamos alguns dos aspectos principais sobre o código, mas se você quiser se aprofundar ainda mais, baixe aqui o nosso e-book!

E não esqueça que se você tiver dúvidas ou precisar de ajuda, a equipe do Galoá está disposta a ajudá-lo!

Deixe seu contato para conversar conosco!


Utilize meu número de telefone para entrar em contato através do Whatsapp.